Tuesday, September 20, 2016

Um Mini-currículo

Wednesday, December 10, 2014

O que vale mais: Dinheiro ou Poder?




Refletindo se Dinheiro ou Poder seria mais importante pra se conquistar as coisas em nossa sociedade penso no fato da maioria dos políticos gostarem mais de poder do que de dinheiro (apesar do segundo ser muito cobiçado para lhes garantir o primeiro). Aí lembro-me da frase do personagem Frank Underwood do seriado House of cards: 

"É um desperdício de talento alguns preferirem o dinheiro em vez do poder. Nesta cidade é um erro que quase todos cometem. O dinheiro é uma grande mansão em Sarasota que começa a desmoronar em 10 anos. O poder é um antigo edifício de pedra que fica por séculos. Eu não posso respeitar alguém que não vê a diferença".

 Em resumo: Políticos safos não ficam esperando aumento de salário. Sabem que se você tem poder pode ampliar mais ainda este poder e se perpetuar no poder que te fará conquistar o que quiser a cada momento, inclusive dinheiro, só que de forma constante e duradoura. E para ter, fortalecer e se beneficiar do poder vale tudo, vale qualquer corrupção. Lembremos que corrupção não é só ser comprado ou se vender por dinheiro, se compra e se vende também por poder(cargos, mídia para opinião pública e votos, etc...). 

Então, se estamos fora do jogo político e queremos entrar no Jogo, jogar o jogo pra mudar o jogo ou façamos também corrupção ou destruímos, na raíz, todas as fontes de Toma-lá-dá-cá que encontrarmos pela frente. Acabemos com financiamento empresarial de campanhas eleitorais, fortaleçamos a transparência pública e o controle social. Só vejo este caminho pra salvar nossa frágil Democracia dos corruptocráticos e eternos usurpadores do poder público.

Tuesday, December 02, 2014

CORRUPTOCRACIA: Governo dos mais corruptos


Você ficou surpreso com frases como a do MJ Cardozo: “-Até síndico de prédio superfatura capacho(5)” ou quando o empresário Ricardo Semler disse que: “-Era impossível vender diretamente (para a Petrobras) sem propina(6)” ou pela Presidenta Dilma ter dito que: “-há corruptos em todos os lugares do Brasil”(7)? Pois não deveria. Corrupção é parte da regra do jogo político, senão sua única regra que realmente funciona neste país.



No Brasil estamos longe de viver em uma Democracia(1) pois não possuimos um Governo exercido realmente pelo povo. Hoje está claro que somos submetidos a uma Corruptocracia(Governo dos mais corruptos) com aparências de República(2)(do latim res publica, "coisa pública").

Segundo a escritora argentina Norma Estela Ferreyra a palavra corruptocracia reúne dois conceitos: CORRUPTOS que significa deturpado ou viciado e CRACIA, do grego "krastos" que significa governo. Seria o governo dos que deturpam e/ou viciam a essência de uma República Democrática(14).

Conforme os fundamentos constitucionais de nossa sociedade somos uma República Democrática Representativa(4). Contudo uma República Democrática deveria ser, em tese, uma forma de governo em que o povo é, realmente, representado por governantes com mandatos de duração fixa(3). O povo tanto não se sente representado quanto os mandatos geralmente se repetem perpetuando os mesmos políticos no poder. Para que uma República se realizasse de forma verdadeiramente democrática deveria haver, no mínimo, uma garantia de que os representantes eleitos realmente tomassem decisões que a maioria de seus eleitores tomariam se pudessem decidir diretamente. Mas o fato é que observamos o grande abismo entre a vontade popular(por menores impostos e melhores saúde, segurança, educação, etc) e a vontade exercida pelos supostos representantes(aumento de tributos, dilatação de gastos públicos e, ao mesmo tempo, manutenção de serviços públicos medíocres). Em um dos estudos o site www.votonaweb.com.br, que submete os projetos parlamentares para a votação pela população, demonstrou que, dos 513 deputados, apenas 130 defenderam projetos que a população aprovaria em maioria simples(ao menos com 50% + 1 voto pelo menos)(8).

Somos uma Corruptocracia e não uma Democracia principalmente por causa do sistema eleitoral brasileiro que, com suas regras para financiamento empresarial de campanha, privilegia aqueles políticos que mais favorecem indevidamente empresas que doam para suas campanhas. Para entendermos este Jogo Político vigente basta, de início, tomarmos ciência de suas duas premissas básicas:

Premissa 1: O Poder político é comprado(70% dos políticos que mais gastam em campanha mais se elegem, conforme demonstra levantamento feito pela Consultoria Legislativa da Câmara dos Deputados(9);
Premissa 2: Quem financia políticos contrata mais com o governo e cresce financeiramente de 3x a 10x mais que as demais(o lucro do investimento pode chegar a 850% sobre o valor doado, segundo pesquisa do Instituto Kellogg)(10). Este lucro seria obtido através de vantagens indevidas oferecidas aos financiadores em troca do financiamento da campanha. Assim, na disputa para “comprar” o cargo político será vencedor quem melhor se vender aos doadores de campanha que, obviamente mais contratarão e lucrarão com o governo. As empresas doadoras que mais contratam com o governo estão entre as 70% a 90% que mais se enriqueceram e são as que mais doam aos políticos brasileiros segundo um estudo do Instituto Ethos(11) realizado em janeiro de 2014.

Desta forma o que fazemos a cada eleição é assistir a uma guerra entre as elites corruptocráticas brasileiras(de qualquer partido) disputando quem consegue ser mais eficiente na arte de representar as grandes doadoras de campanha enquanto fingem que representam o povo. Algumas exceções a esta regra(Políticos éticos comprometidos de verdade com seus eleitores) não comprometerão os resultados das políticas predominantes do “Toma-lá-dá-cá”.

Conclui-se que enquanto eleições forem predominantemente compradas o jogo político será corruptocrático e nosso regime de governo será uma Plutocracia/Corruptocracia. Se 70% dos que mais gastam em campanha mais se elegem(9) e eles gastam mais que a soma de suas verbas remuneratórias durante todo o mandato então está claro que o jogo eleitoral brasileiro tem a corrupção como regra e a exceção seria algum raro mandato popular-ético(que visem o Bem comum e não o bem apenas do próprio político). Ganha o jogo atual quem mais se fingir estar ao lado do povo mas de fato se comprometer mesmo é, corruptamente, com os milionários financiadores que lucrarão de 3x a 10x o que investiram nas eleições através de contratos governamentais com cartas marcadas(11).

Assim enquanto as eleições forem compradas a Corruptocracia será o regime político brasileiro. Precisamos abaixo-assinar e aprovar o Projeto Eleições Limpas(12) tal como conquistamos a Lei da Ficha Limpa. Temos que acabar com doações vultosas às campanhas que certamente são investimentos a serem cobrados depois com corrupção. Este será o próximo passo para que o poder político seja devolvido ao povo brasileiro.



1.http://pt.wiktionary.org/wiki/democracia
2.http://pt.wikipedia.org/wiki/Rep%C3%BAblica
3.http://pt.wiktionary.org/wiki/rep%C3%BAblica
4.http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/ConstituicaoCompilado.htm


Thursday, April 25, 2013

Wednesday, January 06, 2010

Lançamento em Fortaleza dia 26/01/2009 às 19:30 na Livraria Oboé do Shopping Center Um


Monday, September 07, 2009

Saturday, August 01, 2009

Por que a Lua no horizonte parece maior?


A assim chamada "ilusão da lua" ou "efeito da lua" tem intrigado as pessoas desde os tempos históricos mais antigos, pelo menos tão cedo quanto o século 7 AC. É descrita em manuscritos antigos Gregos e Chineses. Aristóteles a menciona em 350 AC.

A lua parece maior em tamanho angular quando está próxima do horizonte que quando está alta no céu. Algumas pessoas julgam que ela parece dobrar de tamanho, mas a estimativa comum é de 50% a 75% maior no horizonte que no zênite.



Fonte: http://www.ceticismoaberto.com/ciencia/ilusaolua.htm




Para mim, a ilusão ocorre devido à nossa herança ancestral de caçadores primatas que tendem a ver ampliadamente sempre que miram no horizonte.





Labels: , ,